29 de dezembro de 2012

[Resenha do Livro] "A Culpa é das Estrelas" - John Green

A Culpa é das Estrelas - John Green


Sinopse:
Em A Culpa é das Estrelas, Hazel é uma paciente terminal de 16 anos que tem câncer desde os 13. Ainda que, por um milagre da medicina, seu tumor tenha encolhido bastante — o que lhe dá a promessa de viver mais alguns anos —, o último capítulo de sua história foi escrito no momento do diagnóstico. Mas em todo bom enredo há uma reviravolta, e a de Hazel se chama Augustus Waters, um garoto bonito que certo dia aparece no Grupo de Apoio a Crianças com Câncer. Juntos, os dois vão preencher o pequeno infinito das páginas em branco de suas vidas.

Comentários - Críticas - Acertos - Recomendo - Nota

"O consolo superficial não é um consolo verdadeiro"

O livro começa meio confuso, principalmente para quem não leu nada sobre o livro, inclusive as "abinhas" da capa. Mas aí a história vai progredindo, você programa para ler um capítulo e acaba lendo até a vista doer. Você entra na "vida" do personagem, você sofre, chora, ri, fica feliz, sonha e, por fim, o livro terminou e você poderia ficar mais horas e horas mergulhada ali ao lado de Hazel, Augustus e Isaac.
O livro é cativante. Você lê sem ao menos ver a hora passar e, bom, não é um romance daqueles que eu estou acostumada a ler: ele tem um quê de realidade.
Querido leitor, John Green não cria romances comuns.
Recomendo para quem gosta de romances chicletes e realistas ao mesmo tempo.


Nota: 5 estrelas.

23 de dezembro de 2012

[Resenha do Livro] A Cabana - W. P. Young

A Cabana - W. P. Young

 Capa do livro A Cabana, autor William P. Young

Sinopse

filha mais nova de Mackenzie Allen Philip foi raptada durante as férias em famí­lia e há evidências de que ela foi brutalmente assassinada e abandonada numa cabana. Quatro anos mais tarde, Mack recebe uma nota suspeita, aparentemente vinda de Deus, convidando-o para voltar í quela cabana para passar o fim de semana. Ignorando alertas de que poderia ser uma cilada, ele segue numa tarde de inverno e volta a cenário de seu pior pesadelo. O que encontra lá muda sua vida para sempre. Num mundo em que religião parece tornar-se irrelevante, "A Cabana" invoca a pergunta: "Se Deus é tão poderoso e tão cheio de amor, por que não faz nada para amenizar a dor e o sofrimento do mundo?" As respostas encontradas por Mack surpreenderão você e, provavelmente, o transformarão tanto quanto ele.

Comentários - Críticas - Acertos - Recomendo - Nota

O livro tem magnetismo. Prende e enlaça.
Você, querido leitor, que está a procura de um livro religioso que realmente tenha uma estória envolvente e que te faça refletir, compre-o. Foi feito para você.
Agora, não o compre se sua intenção for ler um livro dinâmico. A narração não possui maiores aventuras.
Particularmente gostei bastante de como o autor criou e narrou a vida dos personagens, tanto da imagem deita de Jesus e do Espírito Santo. Não ficou naquela narração padrão: Figura de Deus acima de todos. Na verdade, ele pôs Deus a altura de um homem com a honra de um Ser Supremo. Fazendo o leitor viajar e refletir sobre a vida.
Nota: 4 estrelas.

16 de dezembro de 2012

Aqui tem um bando de loucos...

video

Brasilândia, às 10h da manhã, logo após a vitória do Corinthians FC sobre o Chelsea, no Mundial de Clubes, Japão.
A partida terminou em 1x0.

Parabéns, a festa dos torcedores e a felicidade deles é contagiante.
Vitória merecida.

14 de dezembro de 2012

[Resenha] "O Símbolo Perdido" - [Dan Brown]

"O Símbolo Perdido" - Dan Brown

"No princípio era o Verbo"



"Para os pais fundadores dos EUA, a Palavra tinha sido a Bíblia. No entanto, poucos na história compreenderam sua verdadeira mensagem."
Sinopse
Depois de ter sobrevivido a uma explosão no Vaticano e a uma caçada humana em Paris, Robert Langdon está de volta com seus profundos conhecimentos de simbologia e sua brilhante habilidade para solucionar problemas. Em O símbolo perdido, o célebre professor de Harvard é convidado às pressas por seu amigo e mentor Peter Solomon - eminente maçom e filantropo - a dar uma palestra no Capitólio dos Estados Unidos. Ao chegar lá, descobre que caiu numa armadilha. Não há palestra nenhuma, Solomon está desaparecido e, ao que tudo indica, correndo grande perigo. Mal'akh, o sequestrador, acredita que os fundadores de Washington, a maioria deles mestres maçons, esconderam na cidade um tesouro capaz de dar poderes sobre-humanos a quem o encontrasse. E está convencido de que Langdon é a única pessoa que pode localizá-lo. Vendo que essa é sua única chance de salvar Solomon, o simbologista se lança numa corrida alucinada pelos principais pontos da capital americana: o Capitólio, a Biblioteca do Congresso, a Catedral Nacional e o Centro de Apoio dos Museus Smithsonian. Neste labirinto de verdades ocultas, códigos maçônicos e símbolos escondidos, Langdon conta com a ajuda de Katherine, irmã de Peter e renomada cientista que investiga o poder que a mente humana tem de influenciar o mundo físico. O tempo está contra eles. E muitas outras pessoas parecem envolvidas nesta trama que ameaça a segurança nacional, entre elas Inoue Sato, autoridade máxima do Escritório de Segurança da CIA, e Warren Bellamy, responsável pela administração do Capitólio. Como Langdon já aprendeu em suas outras aventuras, quando se trata de segredos e poder, nunca se pode dizer ao certo de que lado cada um está. Nas mãos de Dan Brown, Washington se revela tão fascinante quanto o Vaticano ou Paris. Em O Símbolo Perdido, ele desperta o interesse dos leitores por temas tão variados como ciência noética, teoria das supercordas e grandes obras de arte, os desafiando a abrir a mente para novos conhecimentos.
"A Palavra iluminará o caminho"

Críticas - Acertos - Recomendações - Nota
Nunca havia lido um livro do Dan Brown; conhecia seu trabalho apenas através dos filmes. E alguns compunham essa trilogia que, com certeza, você já ouviu falar e/ou já leu/assistiu: "O Código Da Vinci" e "Anjos e Demônios". 

"Estou diante de todas as almas obscuras que me precederam. Estou girando com um terror sem fim... enquanto a escuridão me devora por inteiro."

Pois bem, em "O Símbolo Perdido", Robert Langdon reaparece para mais uma de suas aventuras. Chamado ao Capitólio dos Estados Unidos, -- numa manhã que tinha tudo para ser igual as outras, para uma palestra encomendada por seu amigo Peter Solomon, ele descobre muito mais do que imaginaria ser possível.

"Estou na encruzilhada dos EUA."

Um suspense que te prende até a última página.
Cheio de ação, o livro te leva para uma viagem pelo mundo da francomaçonaria e todos os mistérios que cercam a vida humana.
O misticismo da vida. 
"Laus Deo"

Muito mais do que um livro, uma reflexão do que é a vida, a mente e aquilo que intriga homens e mulheres, gênios e pessoas comuns... que matou e mata mais gente do que uma guerra... Deus. Uma passada por todas as religiões, crenças, seitas e pensamentos. Muito mais do que isso. Um livro que vale a pena ser lido.

"O tempo é um rio... E os livros são barcos. Muitos volumes navegaram por essas águas e acabaram naufragados e irremadiavelmente perdidosem suas areias. Pouquíssimos são aqueles que suportam os rigores do tempo e vivem para abençoar as épocas futuras."


Nota: 5 estrelas.

9 de dezembro de 2012

Banda D13


Pessoal, faz um tempinho que não postava aqui. Peço desculpas.

Hoje trouxe a banda, ou melhor, a dupla "D13" formada por Lucas Jensenn e Danilo 
Hernandez. Os dois são de São Paulo e têm o sonho de se tornarem grandes no mundo musical, assim como vários; porém, escutando sua música lançada dia 26 de novembro, -- chamada "Momentos", disponível aqui --, percebe-se o talento que possuem.
Por hora, a dupla contém apenas este single, entretanto já começaram a trabalhar num novo. Que promete ser tão bom quanto.
Eles também já fizeram cover de uma banda já consagrada pelo público jovem, a "Pollo".

Para quem gostou e quer conversar com eles aqui estão os links para contato:

Lucas Jensenn:

Danilo Hernandez: